25 de fev de 2016

Sobreviveremos

Muitas vezes penso em quanto as redes sociais, em especial Facebook, destruíram as outras formas de comunicação virtual, tais como os fóruns e blogs. Nem o Orkut causou todo esse estrago quanto o Facebook agora causa, afinal o próprio finado era um tipo de fórum mais dinâmico e abrangente.
Por uma manobra do "destino", felizmente eu fui afastada dessa luciferina rede social... e quando digo que é "luciferina", é porque estou afirmando que a coisa é do Mal mesmo, sem fanatismos da minha parte - embora soe como tal.
Entre os anos de 2014 e 2015, estive obcecada por Facebook, só não ficava 24h por dia e 7 dias por semana conectada à rede por falta de acesso durante todo esse tempo, pois uma das minhas estratégias para me domar ao uso da Internet, é de não ter pontos de acesso em casa. Sabia que estava viciada, mas não tanto ao ponto de perder a noção de uso e abuso do negócio.
Durante esse período de quase dois anos de Facebook-holic, foi o que menos produzi em toda a minha vida: parei de escrever, perdi o ritmo dos estudos da faculdade e tomei nojo geral dos desenhos. Também reduzi a minha atividade de leitura, análise e resenha. E os estragos não pararam por aí: ficou acentuado em mim a paranoia, a desesperança, a depressão e a raiva. Se você é um usuário assíduo da rede social, do tipo que está sempre conectado e participando ativamente, pare e reflita sobre os efeitos que isso está causando em si e em sua vida.
Por isso, chamei Facebook de luciferino. Não que a rede social - e todas as demais - seja algo ruim, mas que se transformou em uma ferramenta do Mal - e uma ferramenta MUITO bem utilizada pelo Lado Negro da Força.
Comparando o mundo virtual proporcionado pelo Facebook e o mundo real das ruas, vemos no primeiro um mundo muito mais cruel e sanguinário, com pessoas raivosas e recalcadas em tempo integral. Nos informarmos da realidade que se passa longe de nossos olhos é essencial, para que não vivamos alienados pensado que o mundo está cor de rosa, mas cabe analisar de que forma essa informação é repassada, e com qual intenção é repassada.
Isso já não é novidade, e hoje em dia muitos são os que sabem que as mídias de massa envenenam as mentes e petrificam os corações. Por isso acho essencial que todos aprendam sobre Comunicação Social, inclusive deveria ser disciplina na grade curricular desde o Ensino Fundamental. As mídias de massa são usadas para a desinformação e para manipulação: passa-se uma informação, mas nunca imparcial, nunca de ampla visão. Foca-se apenas naquilo que se tem interesse para que haja determina reação da massa humana. E naquilo que se mostra, está muito mais do que se oculta, os chamados "subliminares" ou mesmo "entrelinhas". E é nesse oculto que está contido todo o poder de influenciação e manipulação.
Dentro desse mundo desfocado, há o realmente invisível, onde reside o maior perigo - e também o Mal, pois o Mal é sempre covarde, está sempre oculto.
Na Era da Informação, em que os tradicionais papéis são substituídos por frequências eletrônicas, a arma de manipulação se torna mais abrangente e muito mais eficaz, pois não precisa apenas depender da escrita, a forma como as palavras são dispostas e palavras-chaves são inseridas para que se tenha determinada reação dos leitores. Agora se faz uso de imagens, inclusive muito bem animadas através de vídeos e sons, e também das frequências eletrônicas transmitidas pelos próprios aparelhos ou através deles.
Estamos, atualmente, imersos num oceano de radiações, vibrações e frequências "artificiais", e mesmo que não façamos uso de celulares, tablets, computadores, televisões e outros eletrônicos, somos bombardeados frequentemente por essa energia nociva, em especial os que moram em cidades de maior porte, embora até mesmo em cidadelas de poucos milhares de habitantes, já se esteja "contaminada" pelas maravilhas proporcionadas pela Era da Informação.
Em dois anos, esta é a primeira vez que escrevo um texto tão extenso, veja só! E, como visto, o próprio texto se escreveu, pois não era exatamente sobre esse assunto que eu abordaria, e quando comecei as primeiras palavras, pensava apenas em me justificar pela longa ausência e avisar que passarei a dar mais atenção novamente aos blogs, ou pelo menos a este aqui, o PatriciaDo. Bom ver que isso aconteceu, pois estou com uma dúzia de histórias encalhadas nas pastas do meu notebook, sem conseguir visualizar uma cena qualquer para escrever, ao menos, um parágrafo qualquer! Ora só, se já não é o bastante ter um vazio existencial, tenho que amargar um vazio mental também! Só espero que essa fase cheia de sombras esteja no seu fim!
Voltando ao Facebook, o meu perfil oficial permanece por lá da mesma forma, eu que raramente acesso a rede hoje em dia. E nada mais de ficar sendo bombardeado por informações escatológicas em todas as áreas da vida. Pois, se por um lado a minha raiva e indignação não resolvem nada, não melhoram o mundo em nada, por outro elas - a raiva e indignação - contribuem para a destruição de minha essência e alimentação de egrégoras malignas.
Estou retornando ao blog, mesmo que não haja ninguém na plateia para assistir. 

Sobreviveremos.


 

2 comentários:

cesar farias disse...

Há alguém sim. Em nome de todos os teus órfãos, saúdo esse oportuno retorno.

Pat Kovacs disse...

Haha! Que bom saber disso!
Grata, Cesar!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...