2 de abr de 2016

Escala de Dureza, a Graduação do Lápis

Nas duas últimas postagem do "Testando Material de Desenho", tenho comentado sobre a graduação do lápis (seja o de cor, no caso, ou o grafite)... mas o que vem a ser isso?

Para quem está começando na Arte do Desenho, é bom saber que há uma grande variedade de graduações do grafite, que influenciam no resultado final do trabalho. Cada graduação tem um propósito e pode ser explorada de forma tão infinita quanto à criatividade do desenhista. Mas para explorar as possibilidades, é preciso conhecer um pouco mais sobre esse material fantástico, o lápis, que é o precursor de toda e qualquer forma de Arte, após a concepção na mente.

A Faber Castell foi a pioneira ao definir a escala de graduação de dureza do grafite, que parte do mais duro, o H (de Hard) ao mais macio, B (de Black). No século 18, Lothar Faber, um dos descendentes do fundador Kaspar Faber, definiu a escala de dureza da mina grafite que se tornou norma técnica internacional, utilizada até os dias de hoje por todos os demais fabricantes de lápis, como poderá ver a seguir na imagem abaixo:

A tabela acima mostra a graduação de dureza encontrada nos lápis fabricados na Faber Castell, mas atualmente há mais 5 graduações (isto é, 20 graduações no total) em lápis de outros fabricantes, como na imagem abaixo:

Portanto, no mercado atual é possível encontrar lápis grafite com 20 graduações de dureza de mina, que vai do mais duro, o 9H, até o mais macio, o 9B, além do F, um casinho à parte, rs.

Então vamos desvendar o que é esse monte de código que se encontra impresso nos lápis.

Como já foi dito, o H vem de Hard, e mostra se tratar de uma mina mais dura, composta com mais argila e menos grafite, proporcionalmente à graduação que se propõe. Na contramão, temos o B, de Black, que é mais macio por conter menos argila e mais grafite de acordo com a dureza a que se propõe, por isso a denominação "black", pois com mais grafite, o traçado fica mais escuro.

E no meio de tanto duro e macio, temos o F, que vem de Fine, gramatura específica que confere um traçado mais fino e com mina mais resistente, mais indicado para a escrita.

Quando o lápis apresenta o código HB, significa que ele nem é muito duro e nem muito macio (dureza média) sendo um meio termo para melhor utilização no dia a dia da escrita. 

Porém, é comum encontrarmos lápis da linha escolar com apenas a numeração indicando o grau de dureza. Estes são da graduação de 0 a 5, sendo o zero mais macio (2B) e o 5 mais duro (2H). O mais comum de encontrar é o de número 2, que corresponde o HB da tabela. Portanto, quando na sua lista de material vier pedindo lápis nº 2, se não encontrar, pode se servir do HB, que é a mesma coisa.

Agora, o que se pode fazer com essa variação toda de mina grafite?

As regras em Arte são apenas para servirem de base, portanto não são (mais) fixas, a não ser que haja essa especificação para cada estilo de Arte, mas não deve haver para a criação da Arte Livre. Portanto, as "regras" são apenas sugestões como algo pode ser feito e usado.

No caso aqui especificado, o lápis grafite, as graduações se baseiam no seguinte:

Os lápis de mina mais dura, que vão do 9H até o 2H, proporcionam um traço mais fino e mais claro, sendo muito utilizados para desenhos técnicos (arquitetura, engenharia). Me parecem ser uma boa pedida, também, para realizar esboços, especialmente se for para uma arte final em que o grafite não pode ser apagado e nem é a intenção que ele fique muito visível, como no caso da pintura com lápis de cor e com tinta aquarela. Vou até testar isso para ver se dá certo :) 

Os lápis de dureza intermediária, que são o H, F e HB, servem tanto para desenho quanto para a escrita. Com essa gramatura, já é possível fazer esboços mais nítidos e até mesmo aplicação de sombras menos densas nos desenhos.

Já os lápis de gramatura mais macia, que vão do B até o 9B, são usados para escurecer (sombras mais densas) e fazer preenchimentos. Por terem uma mina mais grossa, são mais agradáveis para fazer fundos e desenhos maiores, além de esfumaçados e degradês. Durante as minhas pesquisas, vi que algumas meninas se utilizam desses lápis de maior gramatura para usar como lápis de maquiagem. Se for do seu interesse, basta pesquisar.

Consegui aprender algumas coisas sobre as diferenças de graduação das minas grafites. Espero que a postagem tenha te ajudado também ^^

Até a próxima o/

Arte hiperrealista feita a grafite, de Paul Cadden.




Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...