4 de jun de 2016

DIY - Cadeira Reformada


Era uma vez uma simplória cadeira de pinus balzaquiana: manchada, arranhada, sem viço e ainda mordida por cachorro. Ela era gêmea de outras três irmãs, sendo que duas já morreram. Ela e sua outra gêmea tiveram uma sorte e saúde melhores, então conseguiram sobreviver aos maus tratos que sofreram nas últimas três décadas. Mas, se algo não fosse feito, logo, logo elas também teriam o mesmo destino trágico de suas duas outras irmãs: serem devoradas por cupins e despedaçadas para caber dentro do carrinho de lixo...


Sabe como é que é, né? Depois dos 30, é preciso um esforço a mais para manter a aparência legal, e muitas vezes é necessário uma recauchutada: plástica, lifting, botox, academia...

No caso da nossa cadeira balzaquiana, pouco esforço foi necessário para lhe dar um visual novo e moderninho! E aconteceu aquilo que acontece com muitas garotas por aí: ficaram melhores e mais bonitas do que quando eram jovenzinhas!

O que foi feito:

A cadeira é de madeira de pinus, estava muito suja pelo tempo e maus tratos, e cicatrizes feias de um ataque violento de uma cachorra chamada Adhara, então a primeira coisa que fizemos foi lixar toda a peça, tirando as imperfeições, manchas e o que ainda restava do antigo verniz. Depois de lixada, tomou um belo banho de espuma para eliminar todo o resíduo de pó e gordura. Depois de esfoliada e banhada, a nossa balzaca ganhou duas belas camadas de BB Cream na forma de tinta PVA branca, para esconder as manchas, marcas naturais da madeira e uniformizar o tom para não dar diferença na pintura final.



Daí que veio a parte mais divertida e quando já antevemos o bom resultado: a pintura! Espere, no mínimo, duas horas para dar a pintura depois da base, tanto para tinta PVA quanto acrílica. Por precaução, prefiro esperar de um dia para outro. A tinta seca ao toque, mas isso não quer dizer que ela está mesmo seca e fixa na superfície, é preciso esperar a cura. Isso vale para as demãos de tinta!

A cor escolhida foi um amarelo radiante, encorpado. No entanto, não esperava por tudo isso. Apenas decidi pintar com a tinta amarela para artesanato que tinha em casa. Amei o tom! A tinta usada foi PVA fosca, mas ela suja a toa depois. O ideal é dar um jato de verniz spray para conservar a pintura. 



Uma imagem icônica: gato preto sobre cadeira amarela *-*
Na primeira foto acima, está a balzaquiana recauchutada ao lado da irmã gêmea bagaceira, só para ilustrar bem a transformação. A bagaceira está com a aparência um pouco pior do que a recauchutada estava antes da repaginada, mas que brevemente também ganhará seu dia de princesa!

Fiz um teste de passar tinta acrílica brilhante nas partes que mais sofrem atritos, como o assento e o encosto, mas não deixei secar o suficiente e ficou marcado :( Deixei assim mesmo, e cobri o assento com uma almofadinha quadrada que encontrei na Magal, uma loja de departamentos perto lá de casa. Amei a estampa e as cores combinaram perfeitamente com o que tenho em mente para fazer a composição com a estante que reformei - e postei o passo a passo aqui.


Detalhe de vital importância: gatos gostam da cor amarela! Aqui temos a Maria Flor vistoriando o botox da balzaca recauchutada XD



Vista aérea da balzaca recauchutada... a almofadinha, embora seja vagabundinha, foi um achado! E custou apenas R$ 7,99! Pena que era filha única, pois ficaria super bem na gêmea bagaceira depois de repaginada - a outra cadeira será pintada de vermelho-cheguei :)

Está aí, mais um D.I.Y. prontinho e funcionando \o/ Como disse na postagem da estante-livreiro, quando você começa não quer mais parar :D

 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...