25 de jul de 2016

Resenha de Livro - Petrus Logus, de Augusto Cury

Livro - Petrus Logus: O Guardião do Tempo
 
Quando as fontes de água secaram, as terras tornaram-se inférteis e a violência tomou conta do planeta, a Catástrofe aconteceu. E agora, cem anos depois, o mundo aos poucos está se reestruturando e novos povos começam a surgir. O Reino de Cosmus, liderado com mãos de ferro pelo poderoso rei Apolo, se destacou perante os demais e se tornou um grande império. Com a ajuda de seus conselheiros, entre eles Terrívius, Demétrius e Cômodus, e do sumo sábio Superius, Apolo prega que o conhecimento foi o responsável pela destruição do mundo e, por isso, proíbe o uso da tecnologia e todo qualquer tipo de educação: dos livros às escolas.

Porém, apesar de todo o seu poder, Apolo não consegue controlar um de seus filhos, o príncipe Petrus, que, ao contrário do irmão gêmeo Lexus, não está interessado no poder e nos treinamentos para batalha. Petrus é apaixonado por aprender. Educado pelo sábio Malthus para ser um líder justo e generoso, Petrus é visto pelo pai como um rebelde e sofre as consequências por ser uma mente livre. Condenado a usar a Máscara da Humilhação, utilizada para castigar os maiores criminosos do reino, o jovem príncipe precisa sobreviver para realizar sua grande missão, que poderá mudar os rumos da História, e precisará de muita coragem para se reinventar e ser feliz. E, para isso, contará com uma ajuda nada convencional. 

Informações Técnicas:
 
Autor: Augusto Cury
Título: Petrus Logus
Subtítulo: O Guardião do Tempo
Páginas: 296
Editora: Saraiva
Ano: 2014
Assunto: Literatura Brasileira - Ficção Fantasiosa
Idioma: Português

Meu Achismo:

Mais um livro de auto-ajuda das auto-teorias de Augusto Cury, disfarçado de Literatura Fantástica para adolescentes e jovens adultos. Todos os chavões de Cury estão TAMBÉM presentes nesse livro, só que espalhados pelas quase 300 páginas e nas bocas de variados personagens.

Apesar disso - e outros quintais que mencionarei - é um bom livro, pois entretém sem entediar. Acredito até que seja mesmo um ótimo livro para se presentear às crianças, especialmente àquelas no início da adolescência, pois se aborda muitos conceitos como preconceito social e racial, preservação ambiental, fé, coragem, confiança e outras coisas legais que fazem o mundo ser menos selvagem, se assimilados no cerne, é claro.

Petrus Logus é Literatura Fantástica enveredada pela Distopia, entretanto não tem aquele tempero que nos faz vivenciar a história e mantê-la viva mesmo após terminado o livro. Aliás, nos Romances de Augusto Cury sempre faltam o tempero próprio da narrativa, que no caso dele sempre são narrativas engessadas, que não possuem a maleabilidade de uma história fluída, embora o autor ainda se atreva a ser filósofo e poeta em algumas passagens! Como a intenção é apenas ganhar mais e mais dinheiro, não há a preocupação de se oferecer literatura romanceada verdadeiramente, apenas um apanhado de chavões e repetições distribuídos por tramas muitas vezes até pueris e confusas. Sequer o psicológico dos personagens são trabalhados de forma a parecerem pessoas reais, e não personificações de condições psicológicas.

O personagem principal, Petrus Logus, é o protagonista, enquanto seu irmão gêmeo, Lexus, o antagonista, ambos simplesmente versões psicológicas opostas em todos os quesitos. Tem o "escudeiro" do mocinho, Laurus, que o autor confunde palhaçada com bom humor. Tem a mocinha "gata borralheira". Tem o mestre do mocinho, Malthus, que me pareceu inspirado em Mestre Ioda (Star Wars), porque não parei de visualizar o personagem dessa forma. E tem toda a cúpula do mal, incluindo o pai do protagonista, que só existe para continuar a fazer da Terra um mundo horrível para se viver.

O maior disparate do livro é que APENAS 100 anos após a Terceira Guerra Mundial e a destruição da superfície planetária e seus habitantes, o mundo já vivenciava novos conflitos e novas lendas. Cem anos é um tempo muito curto para um novo sistema de civilização se erguer das cinzas. Mil anos seria mais crível. Muito curto também para já possuir uma população de mutantes (tipo um cara com quatro braços, por exemplo!) e já estarem apartados das demais populações de "gente normal".

Embora Augusto Cury tenha utilizado uma pequena frase para mostrar que seu personagem não era perfeito, Petrus Logus é um super humano beirando o Gary Stu, e não se diferencia muito de outro(s) personagem(ns) de outro(s) livro(s), como em O Vendedor de Sonhos. Petrus é o Guardião do Tempo, e tem o poder de viajar pelo tempo e espaço através de um desdobramento quântico, ou "buraco de minhoca". É tipo um messias, um escolhido, coisa do tipo super herói.

O livro serve para entreter e é divertido, mas comete o sacrilégio de não querer ser apenas 1 livro: precisa ser uma novela, uma série! Então haverá outros livros em sequência, apenas não sabemos quantos e quando serão lançados. Já se passam 2 anos do lançamento de Petrus Logus e não há nenhuma notícia de uma segunda parte a caminho, portanto o livro finaliza inacabado, deixando a resolução para o futuro. 

Comprei Petrus Logus numa promoção da Saraiva, juntamente com outro livro de Cury, Ansiedade, para a leitura do grupo que participo. Custou menos de R$ 15 e achei que o valor seria bem empregado, por isso arrisquei. Mas não aconselho a pagar por mais que isso, pois você poderá sentir que jogou dinheiro fora.

 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...