29 de fev de 2016

Hoje é 29 de Fevereiro

Fazendo esta postagem só pelo fato de hoje ser 29 de fevereiro, logo o próximo será daqui quatro anos, isso se o mundo não acabar antes.
Temos um dia a mais no ano, a cada quatro anos, por isso. Mas o que isso significa? Trabalhar mais um dia de graça. É claro que se você faltar ao serviço, será descontado. E se atrasar uma conta nesse dia, virão juros para pagar.
A boa notícia é que o Google faz uns doodles fofos, como este, deste ano.
Temos seis meses com 31 dias, que segundo nos consta, também trabalhamos de graça, afinal o mês comercial possui 30. E temos o fevereiro com seus 28 dias (que na verdade é o número certo de dias para um mês, segundo o calendário lunar, mas usamos o calendário solar e dá nisso). Seria bem mais simples se arrumassem essa bagunça toda e colocassem 30 dias para todos os 12 meses. Por causa de cinco horas mais alguns minutos a mais a cada ano, inventaram essa coisa.
Seja como for, Feliz 29 de Fevereiro!

 

28 de fev de 2016

Tá em crise? Baixamos os preços


A moda atual é a crise proporcionada pelo governo mais cara de pau que já regeu o Brasil. Se compararmos, então, a crise financeira com a crise moral perpetrada pela mesma petralhada, a primeira é brincadeira de criança em relação à segunda, cujos prejuízos e ônus terão um muito difícil conserto, que requererá enorme trabalho duro.
Por nossa vez, vamos tentando dar a contribuição inversa à toda essa crise, tanto a financeira quanto a moral.
Para a crise financeira, damos a queda de preços de todos os ebooks publicados pela Amazon (os nossos, é óbvio). Agora são apenas dois preços: R$ 1,99 para os Contos e R$ 5,99 para os Romances. Uma queda de até 50% em relação aos valores anteriores, que variavam de R$ 2,99, 5,99 (Contos) e 11,99 (Romances).
Para a crise moral, oferecemos uma Literatura preocupada em mostrar o lado bom e belo da vida, da Luz sempre sobrepujando as Trevas, de que o Amor é a mais poderosa Força transmutadora que existe.
E para quem gosta, está curioso e interessado, é só clicar aqui que será direcionado à página com todos os livros publicados.
Mas... apenas um pequeno pedido...
Pode deixar algumas estrelinhas e um pequeno comentário para a obra que adquirir???
Assim você faz um autor muito feliz :)

27 de fev de 2016

Saudosismo

Às vésperas de perder o meu prazo de validade, em 1º de abril, quando entro pra casa do "enta", a crise existencial começou antes... embora eu esteja em crise existencial desde sempre, tanto que nas minhas memórias mais remotas estão aquelas em que eu subia para o terraço de casa (para ficar mais próximo do céu) para ficar brigando com Deus por ter me jogado nesse mundo (huuum, encarnação compulsória?), isso lá com uns 4 anos, 5 anos, por aí.
Da crise dos 40 anos, já veio o saudosismo, do tipo "ah, se eu fosse dez anos mais jovem" (triste será quando for "ah, se eu fosse 300 anos mais jovem" :P ). Veio outras crises piores que essa, mas vou poupar desses detalhes sórdidos. Vamos ficar só na saudade mesmo.
E dessa crise de saudosismo, veio exatamente a saudade dos meus tempos de Fanfics e Fanarts. Como escritor de Fanfics, tive todo o público que seria muito bom se tivesse hoje (talvez até estivesse ganhando $$ com os livros, hehe). Imagina 3 mil leitores só para uma história? É, pois é, Snake fazia bastante sucesso.
Foi nessa época que comecei a escrever textos literários, por volta do início de 2004. Antes disso, apenas artigos para fanzines e roteiros para HQs.
E fiz algumas Fanarts também, só que usava o nome artístico de agora, Pat Kovacs - foram quase dez anos sem assumir que Snake e eu éramos a mesma pessoa, embora não a mesma personalidade... foi com bastante custo que eu assumi essa identidade secreta, não porque tivesse algum receio ou vergonha em relação a Snake, mas muito pelo contrário: não queria conspurcar a personalidade Snake com a minha própria persona, pois sempre (e até hoje) achei que Snake era a melhor parte de mim, tanto que até acredito que ele seja uma outra consciência.
Dessas Fanarts, muitas foram para capas de Fanfics, tanto de Snake quanto de outros autores. E todos, claro, referentes ao Universo Harry Potter. Portanto, estou abrindo aqui uma nova sessão, para postar essas Fanarts, aproveitando para ocupar os dias do blog, com postagens sempre frescas, depois de quase um ano e meio sem postar nada!
Inaugurarei essa seção com as Fanarts da Fanfic Animago Mortis, que acho a melhor coisa que escrevi até hoje, embora seja bem enrolada a trama, rs. Mas foi, sem sombras de dúvidas, o meu melhor laboratório de escrita!
Divirta-se com as imagens :)
E se quiser conhecer a Fanfic (que algum dia transformarei em "original", como fiz com todos os textos da Série Snake Stories) basta acessar o blog oficial ou ir direto no FF.net, onde está a postagem original com seus mais de 300 comentários :) 



 








 



26 de fev de 2016

Ent de Fangorn

 
Há quatro elementos naturais que me causam uma sensação que não sei descrever, mas que podem ser comparadas a uma devoção, contemplação, como se estivesse diante de algo Sagrado... e que, para mim, são realmente sagrados:
Árvores, Montanhas, Nuvens e Mar.
Árvores e Montanhas são como Deuses para mim. 
As árvores, em especial, têm para mim a mesma conotação de uma pessoa humana, embora com um halo de majestade que humano nenhum possui.
No grande épico Senhor dos Anéis, de Mestre Tolkien, há uma parte destina especialmente às árvores, pois que estas eram cultuadas como Deuses pelos povos antigos pré-cristãos, como os Celtas.
Aqui vai uma canção (dentre muitas que povoam o livro, baseado na literatura da Idade Média) de uma das partes que mais gostei até então. Trata-se do capítulo "Barbárvore", do Livro III da parte As Duas Torres. Por este capítulo tratar de Ents e sobre árvores e florestas, foi o que mais me agradou, e Barbárvore, o mais antigo Ent da Floresta de Fangorn, se tornou o meu personagem preferido, dentre todos.
 
(Ent)
Se a Primavera enfolha a faia e a seiva os galhos banha,
Se a luz se espelha no regato e há vento na montanha,
Se o passo é largo, duro o esforço e frio corta o ar
Volta pra mim! Volta pra mim! Diz que é belo este lugar!
 
(Entesposa)
Se a Primavera ao campo chega e o trigo está na espiga,
Se a branca a flor qual neve brilha e no pomar se abriga,
Se a chuva e sol por sobre a terra perfume há no ar,
Eu fico aqui, não volto, é belo meu lugar.
 
(Ent)
Se for Verão por sobre a terra e à tarde a luz dourada
Mil sonhos verdes derramar nas folhas enlaçadas;
Se verde e fresco for o bosque e o vento for bem-vindo,
Volta pra mim! Volta pra mim! Diz que aqui é tudo mais lindo!
 
(Entesposa)
Se for Verão e no calor a fruta escurecer,
Se a palha é seca, e a espiga branca na hora de colher;
Se pinga o mel, cresce a maçã ao vento que é bem-vindo,
Eu fico aqui, à luz do sol, pois isso é bem mais lindo!
 
(Ent)
Se for Inverno, o duro Inverno que mata o campo Cinvade,
Se a noite escura o dia sem sol devora sem piedade,
Se o Vento Leste for mortal, então na chuva fria
Vou procurar-te, vou chamar-te, eu volto nesse dia.
 
(Entesposa)
Se for Inverno sem canções, se a treva enfim vier,
Quebrando já o inútil galho, se a luz já não houver,
Vou procurar-te e esperar-te, até seguir um dia
Contigo pela estrada afora sob a chuva fria!
 
(Ambos)
E junto para o oeste vamos no encaminhar
E longe, longe encontramos onde descansar.
 
 

25 de fev de 2016

Sobreviveremos

Muitas vezes penso em quanto as redes sociais, em especial Facebook, destruíram as outras formas de comunicação virtual, tais como os fóruns e blogs. Nem o Orkut causou todo esse estrago quanto o Facebook agora causa, afinal o próprio finado era um tipo de fórum mais dinâmico e abrangente.
Por uma manobra do "destino", felizmente eu fui afastada dessa luciferina rede social... e quando digo que é "luciferina", é porque estou afirmando que a coisa é do Mal mesmo, sem fanatismos da minha parte - embora soe como tal.
Entre os anos de 2014 e 2015, estive obcecada por Facebook, só não ficava 24h por dia e 7 dias por semana conectada à rede por falta de acesso durante todo esse tempo, pois uma das minhas estratégias para me domar ao uso da Internet, é de não ter pontos de acesso em casa. Sabia que estava viciada, mas não tanto ao ponto de perder a noção de uso e abuso do negócio.
Durante esse período de quase dois anos de Facebook-holic, foi o que menos produzi em toda a minha vida: parei de escrever, perdi o ritmo dos estudos da faculdade e tomei nojo geral dos desenhos. Também reduzi a minha atividade de leitura, análise e resenha. E os estragos não pararam por aí: ficou acentuado em mim a paranoia, a desesperança, a depressão e a raiva. Se você é um usuário assíduo da rede social, do tipo que está sempre conectado e participando ativamente, pare e reflita sobre os efeitos que isso está causando em si e em sua vida.
Por isso, chamei Facebook de luciferino. Não que a rede social - e todas as demais - seja algo ruim, mas que se transformou em uma ferramenta do Mal - e uma ferramenta MUITO bem utilizada pelo Lado Negro da Força.
Comparando o mundo virtual proporcionado pelo Facebook e o mundo real das ruas, vemos no primeiro um mundo muito mais cruel e sanguinário, com pessoas raivosas e recalcadas em tempo integral. Nos informarmos da realidade que se passa longe de nossos olhos é essencial, para que não vivamos alienados pensado que o mundo está cor de rosa, mas cabe analisar de que forma essa informação é repassada, e com qual intenção é repassada.
Isso já não é novidade, e hoje em dia muitos são os que sabem que as mídias de massa envenenam as mentes e petrificam os corações. Por isso acho essencial que todos aprendam sobre Comunicação Social, inclusive deveria ser disciplina na grade curricular desde o Ensino Fundamental. As mídias de massa são usadas para a desinformação e para manipulação: passa-se uma informação, mas nunca imparcial, nunca de ampla visão. Foca-se apenas naquilo que se tem interesse para que haja determina reação da massa humana. E naquilo que se mostra, está muito mais do que se oculta, os chamados "subliminares" ou mesmo "entrelinhas". E é nesse oculto que está contido todo o poder de influenciação e manipulação.
Dentro desse mundo desfocado, há o realmente invisível, onde reside o maior perigo - e também o Mal, pois o Mal é sempre covarde, está sempre oculto.
Na Era da Informação, em que os tradicionais papéis são substituídos por frequências eletrônicas, a arma de manipulação se torna mais abrangente e muito mais eficaz, pois não precisa apenas depender da escrita, a forma como as palavras são dispostas e palavras-chaves são inseridas para que se tenha determinada reação dos leitores. Agora se faz uso de imagens, inclusive muito bem animadas através de vídeos e sons, e também das frequências eletrônicas transmitidas pelos próprios aparelhos ou através deles.
Estamos, atualmente, imersos num oceano de radiações, vibrações e frequências "artificiais", e mesmo que não façamos uso de celulares, tablets, computadores, televisões e outros eletrônicos, somos bombardeados frequentemente por essa energia nociva, em especial os que moram em cidades de maior porte, embora até mesmo em cidadelas de poucos milhares de habitantes, já se esteja "contaminada" pelas maravilhas proporcionadas pela Era da Informação.
Em dois anos, esta é a primeira vez que escrevo um texto tão extenso, veja só! E, como visto, o próprio texto se escreveu, pois não era exatamente sobre esse assunto que eu abordaria, e quando comecei as primeiras palavras, pensava apenas em me justificar pela longa ausência e avisar que passarei a dar mais atenção novamente aos blogs, ou pelo menos a este aqui, o PatriciaDo. Bom ver que isso aconteceu, pois estou com uma dúzia de histórias encalhadas nas pastas do meu notebook, sem conseguir visualizar uma cena qualquer para escrever, ao menos, um parágrafo qualquer! Ora só, se já não é o bastante ter um vazio existencial, tenho que amargar um vazio mental também! Só espero que essa fase cheia de sombras esteja no seu fim!
Voltando ao Facebook, o meu perfil oficial permanece por lá da mesma forma, eu que raramente acesso a rede hoje em dia. E nada mais de ficar sendo bombardeado por informações escatológicas em todas as áreas da vida. Pois, se por um lado a minha raiva e indignação não resolvem nada, não melhoram o mundo em nada, por outro elas - a raiva e indignação - contribuem para a destruição de minha essência e alimentação de egrégoras malignas.
Estou retornando ao blog, mesmo que não haja ninguém na plateia para assistir. 

Sobreviveremos.


 

22 de fev de 2016

Dica para quem quer ser alguém na vida


Dica para quem quer ser alguém na vida

Eu sempre quis ser alguém na vida.
Acho que desde pequeno o que eu mais queria era isso.
Desde criança eu queria ser adulto. Não queria ser criança.
Quando era pequeno gostava de andar com os meus primos mais velhos. Eu queria crescer logo.
Queria ser alguém na vida.
Eu aprendi que se fosse alguém na vida, eu poderia ter todas as coisas do mundo e fazer tudo que quisesse.
Aí eu fui fazer as coisas que as pessoas devem fazer para ser alguém na vida.
Fui trabalhar. Comecei a trabalhar com 18 anos.
E eu gostava de trabalhar. E eu fui trabalhando cada vez mais.
Depois comecei a empreender. E aí eu trabalhava cada vez mais.
Alguns projetos meus deram errado. Outros deram certo. Mas ainda assim eu não era alguém na vida.
Eu ainda sentia esse vazio que me fazia querer conquistar as coisas. Me fazia trabalhar mais. Acordar mais cedo e trabalhar até não aguentar mais e ter que ir para casa dormir.
E aí eu comecei a entrar no esforço.
A última empresa que tinha começado não decolava. E eu precisava dela dando certo para ser alguém.
Precisava ganhar dinheiro e provar para o mundo que eu podia ser alguém.
Eu pensava que se eu fosse conseguisse provar meu sucesso no mundo material, se pudesse ser um cara de sucesso, com dinheiro e respeitado, aí sim eu seria alguém. Aí sim as pessoas me respeitariam e aí sim eu poderia fazer o que eu quisesse.
Eu queria escrever um livro, mas somente poderia fazer isso quando fosse alguém. Afinal de contas, sobre o que eu escreveria?
Eu queria ajudar as pessoas, mas somente poderia ajudar quando fosse alguém. Quem gostaria da ajuda de alguém que não conquistou nada?
Eu queria dar palestras, mas somente poderia falar quando fosse alguém. O que poderia compartilhar se não tivesse uma história incrível para contar?
Eu tentei com todas as minhas forças ser alguém.
E não deu certo.
Eu não saia do lugar.
Então decidi fazer uma coisa para mim mesmo.
Ia desistir de tentar ser alguém na vida.
Ia apenas fazer o meu dia de hoje ser bom.
Ia apenas fazer coisas que eu tinha vontade de fazer no dia de hoje.
Sem pensar se era o meu propósito, sem pensar se era a missão da minha vida, sem pensar se daria milhões, sem pensar se era escalável, sem pensar se impactaria milhões de pessoas.
E aí incrivelmente minha vida foi mudando.
De maneira que nem consigo descrever, minha vida foi ficando mais fácil. As coisas iam acontecendo, as pessoas iam aparecendo, as oportunidades me buscavam, e eu ia acreditando cada vez mais.
E sem menos perceber, vi que tinha acontecido algo.
Eu estava sendo eu mesmo. Eu estava vivendo a vida que vim para viver.
E aí eu entendi.
Eu já era alguém.
Eu não precisava tentar ser alguém na vida. Eu já era esse alguém. Eu só precisava me permitir ser.
Escrevo esse texto para você que está tentando ser alguém na vida.
Pare de tentar ser alguém. Você já é esse alguém.
Não espere resultados incríveis na sua vida aparecerem para você se manifestar como você é. Você já é.
Pegue o atalho da vida e comece a fazer hoje as coisas que você está deixando para fazer “depois que”.
Eu achava que precisava conquistar minha liberdade provando meu sucesso. Como se recebesse o aval da sociedade para poder fazer o que sempre quis fazer.
Então aqui vai minha dica.
Você já tem esse aval. Você já é alguém.
Então seja.
A vida tá rolando já. Já tá valendo.

(Autor: Gustavo Tanaka)
(Fonte: medium.com)

21 de fev de 2016

Tempestade


E o dia nem foi tão quente para isso...
A Lei de Murphy se vale até mesmo das mudanças climáticas? Pois que o tempo fecha somente na hora de bater o ponto para encerrar o expediente e retornar para casa :/
Agora mesmo, a pouco mais de 10 minutos, o tempo fechou em nuvens pesadas e rajadas fortes de vento. Será essa a constante que permeará esse ano de 2016?
O tempo fechar em tempestade é a somatização no corpo da Terra do momento que vivenciamos?
E, dez minutos depois, o pé de vento já pulou para outro lugar...

7 de fev de 2016

Heróis Anônimos - Jill Phipps

Jill Phipps nasceu no dia 15 de Janeiro de 1964. No dia 1 de Fevereiro de 1995 acabou por falecer em nome da libertação animal. Como muitos dos ativistas que dedicam a sua vida a uma causa, Jill era uma pessoa totalmente desconhecida, que procurava ajudar os animais naquilo que podia e não reconhecimento ou fama. Começou, como muitos ativistas, por se tornar vegetariana. Sendo a sua mãe uma ativista pelos direitos dos animais, Jill foi exposta logo desde criança ao respeito e ao amor pelos animais. A primeira manifestação em que participou, com 11 anos de idade, por influência da mãe e de alguns amigos ativistas, foi contra o uso de peles e as quintas de produção das mesmas. Depois, seguiram-se mais manifestações, sabotagens de caça, etc. e Jill acabou por começar a dedicar praticamente todos os minutos dos seus dias à causa. Ao atingir a adolescência, Jill juntou-se à Eastern Animal Liberation League. Em 1985, Jill teve o seu primeiro e único filho.
.
No dia da sua morte, Jill estava presente numa manifestação, no Aeroporto de Coventry tentando evitar que um grupo de caminhões que transportavam animais entrasse no Aeroporto, de modo a serem transportados para toda a Europa. Um desses caminhões acabou por a atropelar e passar com as rodas por cima, acabando por lhe roubar a vida. Naquele dia, o condutor do caminhão acabou por levar um ser humano e dezenas de vitelos de encontro à morte.
.
Jill foi, durante a sua vida, ativista pelo fim da vivissecção, destruição ambiental, caça, jardins zoológicos, circos, abandono, carne, laticínios, ou seja, tudo aquilo que causa sofrimento desnecessário. Resgatou cães da rua, distribuiu panfletos, sabotou caças, invadiu laboratórios e colocou-se à frente de caminhões para ajudar os animais. Mesmo depois de ter sido assassinada, Jill continua a inspirar mais e mais pessoas a lutar por aqueles que não conseguem defender-se das torturas e crueldades que o Homem, tão covardemente, lhes provoca. Foi uma jovem mulher que morreu a defender aquilo que acreditava e é sem dúvida uma inspiração para mim e para qualquer pessoa que consiga ver que os animais são seres sencientes e que merecem respeito.

3 de fev de 2016

Folia de Gratuitos da Semana na Amazon


Sem disposição ou gosto para o Carnaval?
Prefere ficar em casa e curtir o feriado prolongado de forma bem mais confortável?
Que tal uns livrinhos gratuitos para fazer companhia?
Disponibilizei alguns títulos da minha biblioteca para download gratuito na Amazon. Para baixar, você apenas precisa se cadastrar no site e depois clicar em "comprar" no ebook que escolher. Como estará a R$ 0,0, você não precisará efetuar nenhum pagamento.
A PROMOÇÃO ESTARÁ DISPONÍVEL A PARTIR DO DIA 5 DE FEVEREIRO E SE EXTENDERÁ ATÉ O FINAL DO CARNAVAL \O/
Serão 5 dias de promoção do livro gratuito \o/\o/\o/
Quer um Carnaval melhor do que esse?
Clique aqui no link e confira os títulos disponíveis para download gratuito. Mas, se achar que vale a pena, adquira os demais, que estão até 5 vezes mais baratos do que os livros impressos vendidos no Clube de Autores.
Tenha uma boa leitura e um bom Carnaval :)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...