1 de nov de 2013

Evolução histórica do Turismo e sua História no Brasil


Evolução histórica do Turismo e sua História no Brasil
Considerando-se o Turismo como uma locomoção do Homem em função de fatores diversos, podemos afirmar que o seu início se confunde com o próprio início da Humanidade. Se considerarmos apenas quando a atividade passou a ter o mínimo de organização, pode-se dizer que o seu início se deu por volta do Século VIII a.C. na Grécia, quando as pessoas se organizavam para viajar por conta dos Jogos Olímpicos. Também os romanos promoveram os rudimentos do Turismo, quando se utilizavam das viagens para motivos de lazer e negócio, sendo os primeiros a promover essa atividade por prazer e ócio, fato pressuposto através de analises feitas em sítios arqueológicos, onde se constatou que os romanos faziam viagens para praias, termas, spas ou para os templos gregos e outras áreas de interesse.
Por volta do Século VI, cristão passaram a fazer peregrinações à Roma. Esse fato motivou a criação das primeiras leis para regulamentar a entrada dos peregrinos, cadastrando-os e fazendo cobranças de tributos.
Com a descoberta do túmulo de Santiago de Compostela, os jacobeus organizaram as primeiras excursões pagas, com equipes que guiavam e organizavam os horários dos grupos. Sendo Aymeric Picaud, um jacobeu francês, escreveu o primeiro guia turístico da História, descrevendo o roteiro entre França e Santiago de Compostela.
Entretanto, as primárias atividades turísticas sofreu um retrocesso na Idade Média (como tudo no mundo, aliás). Nessa época, com a criação dos feudos, os clérigos e senhores feudais apenas viajavam quando muito necessário, por questões administrativas, oficiais ou de fé, pois as viagens eram perigosas, com causa de contendas entre feudos, caras e desconfortáveis.
Com a conquista do Santo Sepulcro, em Jerusalém, pelos turcos no Século XI, os cristãos peregrinos deixaram de fazer essa viagem, migrando para o roteiro de Santiago de Compostela. Foi nessa época que se iniciou as Cruzadas, em que muitos nobres arriscaram-se na expedição de retomada do local sagrado para os cristãos, sendo que a verdadeira motivação era política e econômica, o que foi, de fato, muito rentável, tanto para os nobres quanto para a Igreja.
Em 1282, foi criado o primeiro grêmio dos proprietários de pousadas, em Florença, na Itália. Um dos pontos positivos das Cruzadas. Por causa das viagens, que passaram a ser feitas não apenas por soldados, mas também por mercadores e peregrinos, muitos passaram a se organizar para atender a essa demanda de viajantes, com a criação de pousadas, que passaram a oferecer pouso apenas sob remuneração (e não mais por acolhimento caridoso, como antes era). Essas atividades econômicas se expandiram de tal forma que foi necessário criar regras para padronização e classificação das pousadas.
“Os primórdios da Feira da Providência” foi criada na Idade Média, pois era esta a atividade comercial daquela época, em que se reunia não apenas produtos, mas uma miscigenação de culturas e políticas de diversos povos, tanto da Europa quanto do Oriente. As feiras evoluíram para eventos que movimentavam toda a economia local, lotando as hospedarias, atraindo desde comerciantes até pessoas que apenas iam apenas para passeio e entretenimento.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...