3 de mai de 2016

Oratório artesanal passo-a-passo

Como em algumas últimas postagens eu trouxe assuntos referentes a decoração e altares, hoje trago o passo-a-passo da confecção de um oratório artesanal muito simples de fazer, apesar do monte de frescurices.

O tipo de oratório, santinho e a decoração são sugestões. Seguindo o "modus operandi", você poderá fazer o oratório do jeito que quiser.

Esse tipo de oratório é o que "desenvolvi" depois de muito babar em fotos na internet. Queria fazer algo mais popular, folclórico, daí que criei a marca Feito no Santo para dar uma grife aos meus oratórios (ou capelinhas). Para a minha preferência atual, quanto mais frescurices, melhor. Mas você pode (é claro!) fazer mais minimalista - ou mais ainda carnavalesco... vai ao gosto do freguês.

Para confeccionar um oratório como esse da foto, você precisará adquirir materiais em casas especializadas em artesanato e revenda de MDF. Se não encontrar em sua cidade, a internet tem várias lojas especializadas nesses materiais, com a vantagem de ter uma quantidade muito maior de produtos diferenciados para oferecer - e, às vezes, mais em conta que as lojas físicas.

Vamos aos materiais:
  • 1 oratório ou capelinha em MDF;
  • 2 tipos de lixa d'água: uma mais grossinha, tipo 180, e outra mais fina, tipo 400;
  • Tinta base para madeira (serve tinta branca PVA);
  • Pincel chato largo para a pintura da base;
  • Pincel chato largo macio para a pintura;
  • Pincel fino para detalhes, se precisar;
  • Tintas para pintura à sua escolha: Acrílica brilhante ou PVA cintilante ou acrílica metalizada. Se não gostar ou não quiser nenhum tipo de brilho, opte pelas tintas foscas. No caso do oratório da foto, foram usadas tintas acrílica metalizada azul, acrílica brilhante azul e PVA cintilante branca para a parte interna e traseira;
  • Cola de boa qualidade, tanto pode ser tipo a superbonder quanto a branca para artesanato (PVA), silicone ou cola quente, o que for de sua preferência; 
  • Uma imagem, preferência em resina, de um santinho de sua devoção ou escolha.
Para a decoração você precisará:
  • Passamanarias, rendas, sianinhas, fitas de seda - essas coisinhas de armarinho. No oratório da foto foram usadas apenas uma sianinha azul escuro para a parte interna e uma passamanaria azul claro para a traseira, para o acabamento;
  • Florzinhas de tecido;
  • Rosinhas de cetim;
  • Chanton (cristais sintéticos vendidos em cartela - em qualquer loja ching-ling se encontra dessas cartelas). Se não conseguir os cristais, poderá substituir por paetês, miçangas para bijuterias ou pedrinhas para decoração de unhas, mas nesse caso precisará de cola de silicone para artesanato, que tem melhor acabamento por ser transparente;
  • Uma pombinha de resina (se quiser fazer como o oratório da foto);
  • Recorte de imagem sacra (no oratório aqui usei a foto da frente e verso da Medalha Milagrosa, para compor com a imagem de Nº Srª das Graças da Medalha Milagrosa).


O pior já passou, acredite: você já adquiriu o material para fazer seu oratório. Agora vem a parte divertida da coisa.

Desculpe as fotos, sou péssima fotógrafa... 

Na primeira foto, já temos ali a capela em MDF lixada e pintada com a base PVA branca, que serve para cobrir imperfeições e conferir melhor acabamento à tinta final. Você precisará, na peça crua, lixar com a lixa mais grossa e depois dar o arremate com a lixa mais fina, para uniformizar a superfície e eliminar qualquer farpa ou mal recorte das arestas. Depois de lixado, passe um pincel ou pano seco para retirar o excesso de pó e aplique uma ou duas demãos de tinta base. Eu costumo passar duas demãos para cobrir bem a madeira e ficar tudo branco uniformemente.

Na segunda e terceira fotos, está as tintas finais. Na parte da frente, usei a tinta acrílica metálica azul, e nas laterais tinta acrílica brilhante. Também pintei com a mesma tinta as arestas para ter um acabamento mais bonito. Na parte de trás e área interna, usei tinta PVA cintilante branca. 

Aguarde a secagem entre as demãos de tinta. Para a tinta base, espere pelo menos dez minutos entre uma demão e outra, e para jogar a tinta final sobre a base, aguarde de um dia para o outro, por precaução. Nas demãos de tinta final, aguarde pelo menos duas horas, sendo que o melhor é de um dia para outro.

Na quarta foto, depois da tinta bem sequinha, comecei a decoração da área interna do oratório, onde ficará a santinha. Usei sianinha azul escuro para o contorno, rosinhas de cetim e dois recortes da foto da Medalha Milagrosa, que decorei com o chanton azul escuro. Para facilitar a sua vida, use uma pinça para auxiliar na colocação das pecinhas, ou um palito de manicure também ajuda.



Nas quatro fotos acima, mostro o detalhe da ornamentação nas laterais da área interna e da fachada da capelinha.

Nas laterais do interior, utilizei um buquezinho inteiro (vem umas 12 rosinhas de tecido engomado) para decorar o chão. Para melhor posicionar as flores, coloque a imagem de resina dentro para ver onde melhor poderá fazer as colagens, de modo que não tome espaço demais que poderá atrapalhar na hora de colar a santinha, e para ter uma visualização do trabalho final. A santinha será a última peça a ser colada no oratório.

Nas paredes laterais, usei uma rosinha de cetim costurada em uma fitinha também de cetim, e colada na parede, uma para cada lado, só para não dar um espaço ocioso dentro do oratório. Você poderá utilizar outras decorações, como um crucifixo pequeno, recorte de foto de vitrais ou deixar vazio mesmo.

Na terceira foto, fiz a decoração da fachada da capela, utilizando três tipos diferentes de chanton. Também utilizei rosinhas de cetim e tinta PVA cintilante para fazer os pontinhos na borda externa. Para fazer esses pontinhos mais facilmente, você poderá utilizar a ponta do cabo do pincel, boleador ou usar um Pinta Bolinhas da Condor, vendido em lojas de artesanato. 

Na quarta foto, colei a pombinha que representa o Espírito Santo. De resina crua, é preciso dar uma demão de tinta e pintar os detalhes, se quiser. Usei a tinta branca PVA cintilante e tinta acrílica para fazer as perninhas, o bico e os olhinhos. Para não ficar uma coisa solta no espaço, colei um buquê inteiro na parte de trás e arrumei as rosinhas de modo que se deitassem sobre a borda da ponta da capelinha.



Nessas duas fotos estão os detalhes da parte traseira da capela. Não é porque a parte de trás geralmente fica escondida por uma parede, que não merece ter um bom acabamento. Na parte de cima da capelinha, onde eu colei o buquê de rosas de tecido, colei um enfeite em formato de borboleta, para esconder os arames do buquê e para ajudar a fixar melhor, dando mais segurança à peça.

Na segunda foto, simplesmente colei um cristalzinho no recorte da parte de baixo, para dar um charme. Se quiser, pode fazer uma decoração elaborada também na parte traseira.

Abaixo, a foto com o oratório pronto e a imagem de resina já colada dentro da capela.

Algumas dicas:

Compre peças de MDF de boa qualidade, mesmo que custem um pouco mais que as outras. O acabamento do material é muito melhor e isso te poupará algumas horas de trabalho tentando acertar imperfeições, isso quando o próprio MDF não é de má qualidade. Um bom material garante um trabalho final muito melhor.

Não se usa a pressa em Arte e Artesanato. Portanto, não dê demãos seguidas de tinta em intervalos muito curtos. Em teoria, a tinta está seca ao toque entre 5 e 10 minutos, dependendo do clima do dia (se está frio ou quente), mas para a tinta estar curada, leva pelo menos 2 horas. Não apresse essa etapa, pois isso prejudicará o seu trabalho e poderá até causar a perda do material. 

Use pincel macio e de boa qualidade, mesmo que seja para a "queima" do objeto, que é aquela etapa em que a gente passa a tinta base. Um pincel de qualidade garante um bom acabando da pintura, pois faz menos ranhuras na tinta, deixando-a quase lisa.

Não misture a tinta com água, pois isso deixará a tinta rala, por menos água que misture. Eu costumo molhar o pincel, retirar o excesso e mergulhar na tinta pura. Isso faz com que a tinta deslize com mais facilidade pela superfície e garante uma boa cobertura da peça, sem necessitar de ir além de duas demãos.

Use cola para artesanato, no mínimo. Não use cola escolar. O adesivo precisa dar bastante firmeza às peças que serão coladas, para evitar que caiam por aí ao menor toque. A cola de silicone líquida (que não é a cola quente) dá um bom acabamento por ser transparente, mas para colar a imagem de resina na capela, prefira adesivos mais fortes, como a superbonder, por exemplo.

Se você quiser fazer um oratório combinando, prefira usar as cores atribuídas ao santo que escolherá, por exemplo: as cores de São Jorge são vermelho e branco; de Nossa Senhora são azul claro e rosa claro; de São Bento é o preto; e por aí vai. Nos oratórios que faço, gosto muito de usar o branco com cores intensas.

Para escolher a imagem adequada para o seu oratório, certifique-se de que ela não é pequena demais ou grande demais para ele, senão terá de adquirir outra capela ou outra imagem. A estatuetazinha não pode ser pequena demais, ter muito espaço sobrando dentro do oratório. Também não pode ser grande demais, mesmo que caiba dentro, pois não pode ter nenhuma de suas partes tampadas pelas bordas da entrada do oratório. Preze pelo equilíbrio. Pense na capela como uma moldura que deverá mostrar a imagem por completo, sem deixar muito espaço para ser preenchido por elementos menos importantes.

E, definitivamente, solte a franga! Se você é chegada a uma peruíce, vai se divertir montando um desses oratórios. E esse aqui apresentando é apenas uma sugestão. Você poderá fazer com qualquer santinho, com qualquer formato de capelinha e até com qualquer outro tipo de imagem. Já vi oratório até para Frida Kahlo, por exemplo. É uma ideia, e uma ideia bem legal para decoração.

Se for usar o oratório para compor seu altar, para sua devoção mesmo, nada melhor do que algo feito por suas próprias mãos, em que você colocou suas intenções e energia no processo de criação. Assim, conectar-se ao Todo será muito mais fácil, educando-se para que se torne algo muito natural e automático, algum dia.

Se quiser, envie fotos do seu oratório para que publiquemos aqui no PatriciaDo, nos contando um pouco das suas ideias e do processo ;)




Um comentário:

Jossi disse...

Que beleza de oratório!Você sabe de uma coisa? Cheguei à conclusão de que os brasileiros não sabem valorizar a arte manual e a admirar um trabalho bonito e caprichado feito à mão! Quantas coisas lindas eu vi (e vejo) pela internet, a começar por você e seus trabalhos... todos eles. Tanto os gráficos (mangás, desenhos em geral), quanto o artesanato... É tudo muito lindo e imagino como seria decorar uma casa com todo esse trabalho maravilhoso.

Noto, percorrendo alguns sites como os álbuns do Flickr criados por norte-americanos, que lá nos EUA o povo valoriza e compra esses produtos... lá, tudo isso É VALORIZADO, ao contrário daqui. Vendo programas de compra e venda, vendo fotos das famosas 'vendas de garagem' é que a gente percebe a cultura do povo: lá eles amam coisas feitas manualmente e os preços são compatíveis... aqui, além de ninguém valorizar, as vendas são um tiro no escuro... a gente só vende com muita sorte.

Mas parabéns pela dica de artesanato! Ficou um mimo! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...