28 de ago de 2012

Relações Intrarraciais - Parte 1

Todos os povos formando uma só nação.

“Olhe de novo:
Não existem brancos.
Não existem amarelos.
Não existem negros.
Somos todos arco-iris.”
(Daltonismo, Ulisses Tavares)

Os conceitos de Raça e Etnia:

    Os grupos sociais são agrupamento de pessoas que se identificam por características externas culturais e físicas, facilitando a identificação de tais indivíduos com tal grupo e diferenciando um grupo de outro.
   
Grupo étnico é uma população cujos indivíduos têm um senso de identidade baseado em padrões culturais distintos e, algumas vezes, com ancestrais comuns entre eles. Conceitos que são atribuídos a determinada etnia acabam por ser um estigma que o indivíduo carregará mesmo não tendo tão característica em sua personalidade.

    No Brasil, são considerados grupos étnicos os pomerânios do Espírito Santo (imigrantes de etnia alemã vindos da Pomerânia, região entre a Prússia, Suécia e Polônia); os poloneses no Paraná; os italianos em São Paulo; os alemães em Santa Catarina; os ianomâmis em Roraima; os pataxós na Bahia; entre outros.

    Raça é um termo que foi largamente utilizado para explorar as diferenças de cor de pele para classificar os seres humanos. Hoje, a sua importância está nos Estudos Sociais, significando uma população cujos indivíduos possuem certas características físicas. No Brasil, são considerados como grupos raciais os caucasianos, negros e asiáticos.

Forma de integração racial:

    As formas de integração entre grupos raciais e étnicos vai desde a assimilação de grupos originais por outros grupos, ocorrendo diversas vezes na História através das guerras invasivas, dominações de territórios e jugos, até a convivência harmoniosa entre culturas diferentes, nos casos das migrações.

    Assimilação:
    É o processo de integração em que dois ou mais grupos raciais ou étnicos se unem, tornando-se indistintos. No Brasil, por conta da escravidão e das imigrações, houve um processo de assimilação de vários grupos: os italianos em São Paulo; os açorianos em Santa Catarina; diversas etnias indígenas, processo provocado pela dominação portuguesa e jesuíta; diversos grupos africanos de várias partes do Continente Africano em varias áreas do Brasil; etc.

    Nesse processo, a cultura dominada sempre incorpora elementos da dominante.

    Pluralismo Cultural:
    Quando há uma convivência harmoniosa entre grupos étnicos ou raciais dentro de uma mesma sociedade, ocorre o pluralismo cultural. Nessas sociedades, cada grupo, mesmo interagindo com os outros distintos, mantém suas próprias tradições, costumes e língua.

    No Brasil, há o pluralismo cultural mantido por grupos de imigrantes e seus descendentes (alemães, poloneses, húngaros, italianos, finlandeses, holandeses, letões, japoneses, chineses, coreanos, bolivianos) e de habitantes originais, os aborígines brasileiros (xavantes, parecis, pacaás-novos, ianomâmis, terenas, guaranis, etc).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...