12 de out de 2012

Hoje - Oxum, N° Srª Aparecida e as Crianças

Ilustração de Weber Bagetti
Dia 12 de outubro, um dia cheio de motivos para comemorar. Pelo menos os motivos foram bem inventados para isso.

Cá, aqui no Brasil, temos três grandes comemorações, sendo que uma delas vale até um feriado: Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Oxum e o Dia das Crianças.

Nª Srª Aparecida é a Padroeira do Brasil, embora o Brasil seja um país laico desde 1889, quando da sua Proclamação da República, inclusive proclamando independência religiosa ao determinar a laicização do Estado.

O país é laico, porém o povo é religioso, mas um religiosismo mesclado, sincretizado, que faz com que seja algo leve e não fanatizado... ao menos, assim o era até surgir "novas religiões" com seus Achismos Dogmáticos, querendo tiranizar a mente e o espírito dessas pessoas em prol de enriquecimentos desnecessários e totalmente fora de propósito, uma vez que dinheiro não se come e poder não dá imortalidade...

Bem, tiranos religiosistas e alienados fanáticos à parte, a postagem aqui é para abranger num só assunto três questões distintas: Crianças, Nª Srª Aparecida e... Oxum!

Nossa Senhora da Conceição Aparecida (que é, historicamente, a mãe de Jesus Cristo, Maria de Nazaré, e o nome que se segue ao "Nª Srª" é referente aos locais de aparição - como Lourdes e Fátima, cidades da França e Portugal - ou nomes dados pelos devotos - como Nª Srª das Candeias, da Cabeça, Desatadora de Nós etc.) é uma Nossa Senhora "criada" no Brasil, por conta do aparecimento da imagem em terracota que acabou por originar toda essa devoção, a ponto de torná-la a Rainha do Brasil e Padroeira Principal do nosso país. É até uma história interessante de um Brasil Colônia sendo catequizado pelos padres da Companhia de Jesus (chamados "Jesuítas"), que você poderá ler na (Nossa Senhora da) Wikipédia - a "Santa" pela qual eu rezo muitas vezes, he :P

Nessa coisa única, que somente nós temos e só aqui acontece (entenda isso como uma ótima qualidade!), de um Estado Laico com um Povo de Religiosidade Sincrética, surgem devocionais e cultos que se mesclam e se tornam únicos em sua peculiaridade, como é o caso dos Cultos e Religiões de matriz africana (Candomblé, Umbanda de Nação, Jejê, Nagô, Santeria, Catimbó, Encantaria, Jurema Sagrada, Batuque, Tambor de Mina). Nesse sincretismo, temos Deidades de outros povos e panteões que se misturam, graças aos seus cultuadores, às Deidades da religião local ou dominante, no nosso caso a Católica (dominante, não local). Dessa mesclagem especificarei apenas um panteão: dos Orixás, Deidades provenientes dos povos de Daomé (atual Benin) e Yorubá (Nigéria), da África continental.

Os Orixás são representações humanizadas das Forças da Natureza, cultuados em várias nações e tribos da África Ocidental (lembrando que a maior parte dos países africanos são mulçumanos). Quando o Reino de Daomé sofreu a invasão e dominação de uma nação Yorubá, ocorreu o que os antropólogos chamam de aculturação, que é a assimilação e posterior mesclagem dos elementos culturais, sociais e religiosos de um povo pelos elementos do outro, seja por dominação ou imigração. Portanto, os Orixás originados no Daomé se integraram e, alguns, se fundiram aos dos Yorubás, surgindo aí um panteão com, entorno de, 600 Deidades.

Com a imigração forçada pela escravidão de indivíduos de nações Yorubás, algo das religiões ou cultos locais também foram integrados, sendo que apenas 18 Orixás "sobreviveram" nos "novos cultos" criados no Brasil. Dessas 18 Deidades, vamos especificar apenas uma, a de interesse máximo nesta postagem: OXUM, a Deusa do Amor e das Águas Doces.

As lendas que envolvem Oxum são várias, assim como várias são as versões para sua origem. Mas, seja qual lenda, seja qual versão, é consenso de que esta Orixá é uma Deidade que atua no campo do Amor, da Beleza, da fecundação, da fertilidade e da fartura, isto é, tudo aquilo que de melhor é oferecido pela Natureza, que é sempre Vida e Fartura.

Na Natureza, os campos de maior vibração dessa Orixá são os próximos às águas doces e correntes, como rios, lagos e cachoeiras, pois a água doce que flui é a água que transporta Vida, seja na forma de minerais, seja na forma de sementes, seja na água contida no sêmen, pois Oxum cuida exatamente do momento da concepção e, depois, é ela quem cuida e protege as mulheres durante a gravidez e dos bebês quando nascem, até falarem suas primeiras palavras.

Por sua origem e natureza amorosa, Oxum é chamada carinhosamente de Mamãe. É ela quem ampara, acolhe e cuida. Em uma das versões, ela é filha de Yemanjá e Oxalá, considerados os pais dos Orixás.

No Brasil, Oxum foi sincretizada pela Umbanda com várias Nossas Senhoras, de acordo com a região de culto, sendo que na Bahia ela foi sincretizada com Nª Srª Aparecida, sendo lá, hoje, o dia comemorado em sua homenagem.

As Crianças do Brasil:

Hoje, dia 12 de outubro, é institucionalizado o Dia das Crianças no Brasil, uma data que foi criada pelo político Galdino do Valle Filho, em 1920, oficializada em 5 de novembro de 1924, através do decreto 4867, pelo então presidente Arthur Bernardes.

Porém, a data começou a ser comemorada apenas em 1960, quando a fábrica de brinquedos Estrela em parceria com a indústria de fármacos e cosmética Johnson & Johnson, se uniram para criar uma campanha de marketing para aumentar as vendas no setor infantil, a "Semana do Bebê Robusto", efetivando-se, aí, a comemoração do Dia das Crianças.

A nível mundial, o Dia das Crianças é comemorado em 20 de novembro, quando da Declaração dos Direitos das Crianças pela ONU em 1959, criando-se o Dia Universal das Crianças.

No Brasil, na verdade, há duas datas para as crianças: o dia 27 de setembro, dia de São Cosme e São Damião (link 1 e link 2), e o dia 12 de outubro. O primeiro é uma data popular, criada em função dos santos católicos considerados protetores das crianças, e dos Orixás Ibejis, que são os Orixás que comandam a Linha das Crianças na Umbanda, que em algumas Nações e no Candomblé são chamadas de Êres.

No dia 12 é a data, aparentemente, comercial, que se divide em comemoração à Nossa Senhora Aparecida, a Rainha-mãe e protetora do Brasil, e à Oxum, Mãe amorosa e protetora das crianças pequenas. Será que tudo é apenas uma mera coincidência?

Ora Aie Ie o, Oxum (Salve a benevolente Mãezinha)
Rora Yeyé Gbémi! 
(Mãe Grandiosa, Proteja-Me!)

Intercedei por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Feliz Dia das Crianças!
 


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...