4 de out de 2012

OCTOPUS - Cie. DCA Philippe Decouflé


O mês de Setembro fechou com chave de ouro, ao ter seus dois últimos dias, 29 e 30, as únicas apresentações da Companhia de Dança e Teatro de Philippe Decouflé no Teatro Municipal Carlos Gomes (RJ), com o espetáculo misto OCTOPUS, que foi um verdadeiro atentado aos sentidos tão acostumados à banal rotina.

Dança contemporâena, teatro, filmes em telão interagindo com os artistas e música ao vivo com o eclético, raro e talentoso Labyala Nosfell e Pierre Le Bourgeois que, apesar de estar ali para fazerem sonoplastia e música ambiente, fizeram quase que um show à parte. O próprio Nosfell é um show, com seus acordes que vão do soprano ao tenor em segundos, da cantora lírica ao vocalista de Heavy Metal.

O espetáculo é contestador, atenta contra paradigmas, surpreende e te obriga a compreender a dança, a música, a encenação com outra concepção, como se virasse seus sentidos de audição, visão e consciência de ponta cabeça.



Direção Artística: Philippe Decouflé
Programa: Octopus

Philippe Decouflé nasceu em Paris em 1961 onde se formou na Escola Nacional de Circo. Estudou com o renomado mímico Marcel Marceau. Em 1982 foi para Nova York, onde trabalhou com Merce Cunninghan e Alwin Nikolais. Escolheu ser “clown” e acabou bailarino, coreógrafo e cineasta. É um mágico do insólito, um explorador de novos territórios, onde o gestual, a utilização de imagens e efeitos especiais, um profundo senso de utilização da cor e linguagens cênicas diversas se misturam para dar ao movimento um outro sentido. Seu estilo é único.

Em 1983, com o espetáculo Vague Café, criou sua companhia, a DCA (Decouflé & Cúmplices Associés). Até 2011 foram 28 criações e o reconhecimento de um grande público em todo o mundo. A relevância e abrangência do seu trabalho fizeram com que o Parc de La Villette, importantíssimo centro de atividades culturais de Paris, decidisse promover entre 06 de junho e 13 de julho deste ano uma grande exposição retrospectiva. Uma sucessão de instalações interativas apresentará ao público desenhos, filmes, elementos cenográficos e figurinos.

Octopus
, polvo em português, é uma peça em oito poemas coreográficos, oito tentáculos, com solos, duos e coreografias de conjunto elaborados com um cuidado especial. Em cena oito bailarinos e dois músicos (piano, violoncelo, violão, címbalos e canto). Obcecado pela ideia do belo, Decouflé faz de Octopus um grande espetáculo de charme e, ao mesmo tempo, uma requintada diversão popular .
Fonte: Teatro Alfa

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...