7 de abr de 2016

Testando Material de Desenho - parte 05

O Testando Material de Desenho desta postagem traz uma das belezinhas que adquiri recentemente: estojo com lápis de cor Polycolor, da Koh-I-Noor, com 24 cores, que aproveitei em uma promoção na Submarino, no mês passado. 

O desenho utilizado no teste vem da mesma forma e lugar daquele utilizado no teste 4, então tanto o papel quanto o rascunho acabaram influen- ciando negativamente na pintura. Porém, como a intenção do teste é experimentar o material - no caso o lápis de cor - podemos meio que deixar de lado o resultado final da pintura (que sempre poderá ser melhor, mesmo se já fosse ótima).

O rascunho é bem antigo (deve ter uns dez anos), feito para a fanfic Animago Mortis. Ao contrário do que fiz no teste 4, aqui resolvi manter as características dos personagens mesmo. O papel utilizado é de um bloco escolar, de má qualidade, mas de boa gramatura para desenhos simples.

Agora que tentei justificar - e me desculpar - por não apresentar um trabalho melhorzinho, vamos ao que nos interessa.

Testando Material de Desenho e Pintura
Lápis de Cor Polycolor Koh-I-Noor




O certo seria se eu testasse todas as cores na pintura, não é? Tentarei fazer isso em um próximo teste, nem que tenha que desenhar um desfile de escola de samba XD

Bem, comecei pelo começo que sei começar: pelo início do princípio. Fiz aquele pequeno teste de sempre, um degradezinho com todas as 24 cores do estojo, pois que isso até ajuda na hora de escolher as cores para pintar. No esboço, fiz a cobertura da pele de Nicolai e dos pelos de Crookhanks com ocre, definindo as luzes. Essa parte do processo é feito de forma bem leve, para evitar marcar o papel e até mesmo causar algum tipo de "impermeabilização" por conta da cera contida no lápis, sendo isso o responsável por não permitir a mesclagem de cores em lápis de algumas marcas, como o da Staedtler, por exemplo, porém não é o caso desse lápis da Kor-I-Noor. Como pode perceber pela segunda imagem, em que já está com a base pintada, a pigmentação é excelente, pois além de ser uma cor clara, foi aplicada de forma leve, e ainda assim a superfície ficou bem preenchida e a cor vívida.

Foi muito fácil e rápido fazer a aplicação da cor base, pois o lápis é muito macio, bem pigmentado e desliza fácil pelo papel, mesmo que a superfície seja um pouco rugosa. Aliás, foi bem rápido a pintura desse desenho. Se eu tivesse realizado tudo em uma única pegada, talvez não me tivesse consumido nem duas horas no processo. Creio que a qualidade do material influenciou nesse aspecto: maciez e pigmentação.

Na terceira imagem, que infelizmente ficou desfocada e só percebi isso depois de passar para o computador, temos já a sobreposição de cores mais escuras para fazer o efeito de sombra e volume, o detalhamento dos pelos do gato, a coloração dos olhos e cabelos. Ampliando a imagem, ao clicar em cima, dá para perceber (o quanto o desfocado permite ¬¬) que as cores se mesclam sem resistência. Pelo lápis ser macio e bem pigmentado, é preciso pegar leve na pintura, para não ocorrer manchas como aconteceu com o lado direito do rosto de Nicolai.

Na quarta imagem, já temos a pintura finalizada, com apenas alguns retoques nos personagens e a mistura do fundo, em que foram utilizadas quatro cores diferentes: verde água, azul celeste, azul escuro e magenta. Só que neste caso, a virtude se tornou um defeito: por ter uma excelente pigmentação, a cor mais escura simplesmente cobriu as outras cores, como pode ver no canto inferior direito. Então, para evitar que isso aconteça se a intenção for a de mesclar e não cobrir, é usar a mão o mais leve possível para apenas escurecer a área.

Achismo Final:

O lápis de cor Polycolor da Koh-I-Noor tem excelente qualidade: maciez, pigmentação, cores vívidas, são leves e todo o trabalho de pintura se torna mais fácil e rápido por conta dessa qualidade, pois a mina desliza e pigmenta o papel sem muito esforço da nossa parte. E são minas de cores permanentes, isto é, não-aquareláveis. Eis toda a diferença entre um lápis de linha profissional com um lápis (de boa qualidade) da linha escolar, por isso que, se for possível, deve-se adquirir bons materiais apesar dos valores salgados para a maioria de nós. Mesmo que se pretenda apenas desenhar e pintar por hobby, sem pretensões de profissionalização, faz uma enorme diferença no resultado final do seu trabalho, te deixando mais satisfeito.

A Kor-I-Noor é uma empresa com mais de 200 anos, fundada por Josef Hardtmuth em 1790, em Viena, na Áustria. Hoje a fábrica se localiza na República Checa, e é de lá que os lápis são importados, e por isso mesmo custam tão caros (qualquer caixinha de 12 cores não sai por menos de R$ 100). Os custos de importação e as milhares de taxações que temos de pagar para sustentar a ratolândia brasileira torna esses materiais inacessíveis para a maioria da população, e hoje encontramos até mesmo a linha escolar por preços nojentinhos.

Apesar do preço, vale a pena adquirir o material, basta ficar de olho em promoções e fazer busca de preço pelas lojas virtuais, que é a melhor opção para comprar material de pintura e desenho. Esse estojo comprei na Submarino, com mais de 20% de desconto, sendo que chega até 70% mais barato que em outras lojas que pesquisei. Mas vale a pena, mesmo. E comprarei outros da mesma marca, no futuro.

Abaixo, a foto da pintura finalizada e ainda decorada com o app PhotoGrid ;D

Até o próximo teste o/


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...